sexta-feira, 13 de junho de 2008

A BONECA QUE CRESCEU

FIGURA 1

Faltava apenas uma semana para o aniversário dos gêmeos, Paulo e Paula. Os dois esperavam ansiosos para que tal dia chegasse. Enquanto os pequenos se alegravam com a aproximação do grande dia, a mamãe deles se preocupava com os presentes que lhes havia de dar. Tudo parecia difícil, pois o casal era pobre e morava numa pequena fazenda. Dona Ana, no entanto sabia que para as crianças um aniversário sem presentes não seria bom.

FIGURA 2

Uma noite, após terem os gêmeos se recolhido para dormir, o casal conversou sobre o assunto, ficando resolvido que cada um se responsabilizaria por um presente. O pai faria o de Paulo, e a mãe o de Paula.
CONTINUAÇÃO DA FIGURA 2
No dia seguinte, Dona Ana deu os primeiros passos para a confecção de seu presente. Tomou um saco de farinha de trigo bem branquinho, e com uma tesoura foi recortando o pano, até que apareceram os braços as pernas, a cabeça e o tronco. Deu um suspiro de alívio, quando viu que ali estava alguma coisa muito parecida com uma boneca. Tomou uma agulha e começou o trabalho de unir a frente ás costas. Logo que terminou, verificou que aquilo, para ser uma boneca de verdade, precisava ser cheio de alguma coisa. Nada havia na casa para isto e, por mais que procurasse, não conseguiu achar nada que servisse. Finalmente, teve uma idéia. Tomando nas mãos o forro da boneca, dirigiu-se para o celeiro, onde havia sacas de arroz ainda em casca.
E começou a enchê-la, e logo a boneca foi tomando sua verdadeira forma.
CONTINUAÇÃO DA FIGURA 2
Voltando para casa, aproveitou retalhos do vestido de Paula, e em pouco tempo a boneca estava com um maravilhoso vestido, combinando, também, com seu chapeuzinho. Fez os olhos, o nariz, a boca e, para o cabelo usou os fios de cabelo da cauda do cavalo. Os sapatos foram feitos de um pedaço de couro tirado de uma carteira velha.

FIGURA 3
O Sr. José também se apressou na confecção do presente de Paulo. Ele tirou cipós duma árvore, e fez arco e flecha para o tiro ao alvo. Quantos gritos de alegria se ouviram na manhã seguinte, quando as crianças receberam os presentes; Paulo correu para fora e lá começou a brincar.




FIGURA 4
Paula, por sua vez, achava que não tinha outra boneca mais bonita do que a sua. Pensou imediatamente em lhe dar o nome de Rosaly. Na hora das refeições Rosaly sentava-se á mesa com Paula e tinha que provar de todos os pratos. Após a refeição iam deitar-se juntinhas. Paula queria levá-la, também para a escola, porém sua mãe não consentia. Paula tinha que se separar de Rosaly, deixando-a sentada na melhor cadeira até que voltasse da escola.
Algumas semanas depois do aniversário, Paulo e Paula estavam ajudando os pais no plantio de feijão, quando começaram a brincar de correr um atrás do outro. Paulo sem querer, derrubou a lata de feijão, e quando o pai voltou para tirar mais feijão da lata, achou-a virada no chão e o feijão todo espalhado.

FIGURA 5
- Foi você quem espalhou o feijão, Paulo? Perguntou o pai. - Oh, não papai. Acho que foi o Rex respondeu Paulo, culpando seu cachorro. - Paulo, você sabe muito bem quem derrubou a lata de feijão quando corria atrás de mim Paula logo falou.
CONTINUAÇÃO DA FIGURA 5
- Sendo assim, filho, disse o pai com severidade, você deve voltar para casa e ficar lá até depois do jantar. Não está envergonhado, Paulo, de mentir assim? Em lugar de sentir vergonha pelo seu pecado, Paulo se zangou com Paula e resolveu vingar-se dela.
- Ela vai se arrepender _ disse o baixinho. Logo que chegou a casa ficou pensando um meio de praticar sua vingança. Não foi preciso procurar muito, pois, imediatamente encontrou a oportunidade desejada. Ali sobre a cadeira estava Rosaly, a queridinha de Paula.
- Ah! Não poderia encontrar coisa melhor para me vingar. Paula vai aprender a não falar mal de mim.

FIGURA 6
Apanhou a boneca pelos cabelos e correu para trás do celeiro. Pensou: Agora aqui ninguém poderá me ver!
Mas, Paulo se esqueceu de Alguém que sempre nos vê, não é crianças?
Com muita pressa fez um buraco e, enterrando a boneca, pisou com força sobre a terra fofa.
Podemos imaginar como Paula sentia falta da querida boneca. Procurou o dia todo e perguntou muitas vezes a Paulo se ele não sabia onde ela estava. Finalmente papai falou severamente ao seu filho: - Paulinho, você deve ter escondido a boneca. Dê-lha imediatamente.
Paulo fingia inocência. - Papai, não tenho a menor idéia do que aconteceu com ela. E fez de conta que ajudava a pobre Paula a procurar a boneca.
Assim os dias iam se passando. Paulo se sentia bem satisfeito até um domingo na igreja quando parecia que o pastor pregava só para ele. O texto era Números 32:33 _ " sabei que o vosso pecado vos há de achar." Paulo não se sentiu bem, mas procurava acalmar a sua consciência.
- Ninguém há de descobrir Rosaly. Disse consigo mesmo. Enganei a todos, saindo com eles para procurar a boneca. Além disso, já se passaram duas semanas e todos se esqueceram do fato.
Mas naquele mesmo dia, logo depois do almoço, um vizinho veio passar umas horas em casa do casal, e perguntou ao Sr. José:
- O que o senhor plantou atrás do celeiro? - Não plantei nada atrás do celeiro, respondeu o Sr. José. Só há mato ali. - Não?! insistiu o amigo. - Mas há ali alguma coisa nascendo, e o formato dela é interessante.
- Vamos ver o que é - disseram todos.
A família saiu com o visitante para ver a novidade. Paulo seguiu também.
- Oh! O que pode ser isto? Disse alguém, com admiração. - Paulo não podendo conter-se na sua grande admiração, gritou:
- A boneca cresceu! A boneca cresceu! E continuou: - O pastor tinha razão: SABEI QUE O VOSSO PECADO VOS HÁ DE ACHAR.Na verdade Rosaly cresceu.

FIGURA 7
Lá estavam os braços e pernas, todo o corpo em broto verde. Paulo não podia pensar que o enchimento da boneca era de arroz com casca. A chuva e o sol fizeram com que o arroz germinasse, crescesse e descobrisse o pecado de Paulo.
Meninos e meninas, vocês acham que é só o pecado de Paulo que Deus vai descobrir?

FIGURA 8
Não, de fato Ele conhece os pecados de todos. Um dia, mais cedo ou mais tarde, todo pecado que você faz, tem de ser castigado por Deus, porque Ele odeia o pecado.
Será que Ele ouviu as mentiras que você falou?
Viu quando você brigou e falou nomes feios?
Notou quando desobedeceu a mamãe ou ao papai?
Deus sabe tudo crianças! E Ele diz que todos são pecadores.
Por sermos pecadores, não podemos entrar no céu quando morrermos.
Mas Deus nos ama tanto que mandou Seu Filho a este mundo para nos salvar do pecado. Cristo, que nunca pecou, tomou o castigo de nossos pecados.
Ele sofreu em nosso lugar quando morreu na cruz.
Crianças, vocês não se sentem tristes por causa de seus pecados?
Jesus quer perdoar o seu pecado e limpar o seu coração.
Diz em 1 João 1:7 – “ O sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado." e em 1 João 1: 9 " Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça."
Quem quer agora confessar a Deus que é pecador e aceitar a salvação que Ele oferece em Cristo?
Assim fazendo, você se torna filho de Deus.
Vamos pedir também que Deus nos ajude, como filhos dEle, a vivermos vidas agradáveis a Ele.
FIM.

Um comentário:

Camila disse...

Amei a história da boneca que cresceu. Amei também esse blog. Que Deus continue te dando muita sabedoria, para, que através desse seu trabalho, muitos departamentos infantis possam ser abençoados.
Bjos, tia Camila