sábado, 29 de março de 2014

LEMBRANCINHAS: PASCOA, FESTAS INFANTIS, CONGRESSOS INFANTIS

LEMBRANCINHA COM GARRAFA PET

MUITO LEGAL!

COMO FAZER:

Pra fazer este acabamento lisinho da boca da garrafa pet, aí vão algums dicas...

1 – Antes de iniciar o acabamento, enxugue bem cada peça. Se estiver molhada, a peça poderá ficar deformada.
2 – Aqueça o ferro elétrico e coloque sobre ele um retalho qualquer de pet. Quando o retalho começar a fazer voltas, a chapa do ferro está na temperatura ideal, se ela aquecer demais irá deixar a garrafa áspera;
3 – Pegue cada peça, pressione contra a chapa do ferro e vá girando, aos poucos, até atingir o acabamento desejado;
4 – Faça o acabamento total, deixando a borda da garrafa voltar-se para dentro em cerca de 0,5 cm;
5 – Para o acabamento parcial, deixe a peça por menos tempo sobre a chapa, apenas para retirar a parte cortante.



RETIREI DO SITE PRA GENTE MIUDA





Curso sobre EBF – Escola Bíblica de Férias (LOCAL APEC)

Para quem trabalha com Crianças é muito bom!


Você não pode perder!!


Curso sobre EBF – Escola Bíblica de Férias


Data: 26 de Abril de 2014 Local: Sede Nacional da APEC - 2º andar Endereço: Rua Ten. Gomes Ribeiro, 216 / Vila Clementino / São Paulo - SP (Atrás da estação Santa Cruz do metrô)
 Preço: inclui Apostila e certificado de participação. R$ 60,00 - para inscrições antecipadas. 
R$ 75,00 - para inscrições no dia. 

PROPÓSITO: Mostrar um programa especial para a realização de uma EBF, aproveitando o período das férias para alcançar crianças para Jesus.Tema da EBF: Segredo da Vitória .

Este curso é muito bom da APEC.

E lá possui tambem material com historias quem puder adiquirir tambem é muito bom!

Site da Apec www.apec.com.br


LEMBRANCINHA SAQUINHO PARA PASCOA, FESTA INFANTIL, CONGRESSO INFANTIL

Mais uma dica de lembrancinha e muito fácil de fazer!!!


Saquinho que coloca cachorro quente, dentro você coloca chocolate, balas, e fora faz a carinha com caneta Pilot preta e vermelha, e com cartolina ou papel cartão faz as orelhinhas, para fechar o saquinho uso o grampeador!

Peguei este exemplo, mas em vez de fazer o coelhinho, que sabemos que é apenas consumo da Pascoa e não a verdade em Cristo.

Você pode fazer a ovelhinha em vez do coelhinho ou estar usando esta ideia tambem até festinha das crianças, se for Tema Arca de Noé, fazer outros bichinhos,ver outro bichinho e fazer, e colocar dentro do saquinho balas, chocolates e doces!

LEMBRANCINHA: SACOLINHA PARA PASCOA , CONGRESSO INFANTIL, FESTA INFANTIL

LEMBRANCINHAS FACÉIS PARA FAZER

Você pode estar utilizando num trabalho na Escola Secular ou utilizando como lembrancinha na Igreja.

E muito Facil de Fazer!!!

Aqui nesta fonte, estão utilizando com o Coelho, mas podemos usar com gatinho, Ovelhinha, Leão, Porquinho e outros bichinhos.

Pode dar como lembrancinha na Pascoa, em vez de usar o Coelho pode usar a Ovelhinha!

E tambem como Lembrancinha no Congresso Tema: Arca de Noé!

Muito Economico e Criativo!

Peguei de outra fonte e achei muito interessante repassar!!!


quinta-feira, 21 de julho de 2011

A FAMILIA GARRAFA

A FAMÍLIA GARRRAFA

Flávia Brasil Esteves


Apresentação:


Arrume cinco garrafas de tamanhos diferentes, preferivelmente de vidro transparente, procurando aproximar os tipos de garrafas com os membros da “família”. Leia a estória antes de caracterizar os “personagens”.




1. Papai Garrafa
Arranje uma garrafa de boa altura, fina, em cujo gargalo se colocará uma moeda ou nota meio enrolada.

2. Mamãe Garrafa
Pode ser bojuda, não muito alta, podendo ter como tampa uma panela de brinquedo ou qualquer outro objeto doméstico.


3. Florinda Garrafa
Será ideal ser representada por uma garrafa de vidro trabalhado, não muito alta, sendo colocada no alto uma flor ou um ramalhete de flores.


4. Rosa Garrafinha
De pouca altura e pequeno diâmetro, lembrando uma “menina”. Como tampa, poderá servir um carretel (ou retrós) de da linha.


5. Zezé Garrafa Bolão
Deve ser de pouca altura, tendo como “cabeça” uma bola de plástico ou borracha.

As garrafas devem estar vazias; uma boa quantidade d’água deve estar à disposição do narrador, que deverá usa-la para encher as garrafas no momento propício.

Começa-se então, a estória, apresentando-se cada membro da família Garrafa.



Lição

Aqui está Papai Garrafa, alto, magro, sempre preocupado com os negócios. Trabalha muito – de manhã à noite – e se preocupa só em ganhar dinheiro. Os propósitos da sua vida estão resumidos em dinheiro. Podemos vê-lo ao chegar em casa à noite, cansado e nervoso. Já vem gritando com todos, sem pensar que mamãe Garrafa e os filhos também tiveram os seus afazeres e contrariedades. Negócios, dinheiro – dinheiro, negócios – esta é a única preocupação de papai Garrafa.


Olhemos agora para Mamãe Garrafa. Que vida atarefada! Cuida dos filhos, cozinha, varre e limpa a casa; não tem o mínimo de sossego durante o dia; sua maior preocupação é manter tudo na maior ordem e o mais perfeito possível; e por isso mesmo vive correndo de lá para cá; sua vida é uma roda-viva entre as coisas materiais.


E aqui está sua filha mais velha – Florinda Garrafa. É mocinha já. Os seus pensamentos são leves como uma pluma e está sempre com roupas bonitas e enfeites atraentes. Com isto a sua cabecinha está cheia, não dando lugar a estudos e coisas mais sérias. Sonha bastante, lê romance, assiste novelas, e então dá asas a sua imaginação. Não tem senso de responsabilidade; por exemplo, não sente que Mamãe Garrafa talvez esteja cansada e precisa de alguma ajuda. Florida não pode estragar o seu penteado, suas unhas, sua “toilette”.



E aqui está Rosa Garrafinha, menina de dez anos. É meiga, boazinha, estudiosa, alcançando sempre boas notas na escola. Gosta de costurar para suas “filhas” – as bonecas, e assim vive despreocupada com outros assuntos. É quieta e procura não atrapalhar os outros, mas pensa só em si, esquecendo-se que já é grande e pode ser de muito auxílio para o próximo.




Por último vem Zezé Garrafa Bolão. É um menino de sete para oito anos. É o valentão do lugar. Comanda todos os garotos, e muitas janelas já foram quebradas por causa da sua mania por futebol. Não tem consideração pelas coisas de casa, não procura poupara a Mamãe com todo o seu serviço. Geralmente está com a camisa suja ou rasgada, os sapatos cheios de lama, os cabelos em desalinho.



Toda a vizinhança conhece a família Garrafa tal qual a temos descrito. Um certo dia, porém, algo aconteceu para que tudo se transformasse. Uma pequena influiu para que todos os membros da família se tornasse completamente diferentes. Veja o que aconteceu:
Convidada por uma amiguinha, Rosa Garrafinha foi a uma aula bíblica. Lá teve a oportunidade de ouvir de Alguém chamado Jesus Cristo. Ouviu que Ele é o Filho de Deus, deixou Seu lar no Céu e veio aqui à terra para encher vidas vazias com a Água da Vida. Todos os corações, de crianças e adultos, são secos e sedentos por causa do pecado. Mas Jesus levou nossos pecados sobre si na cruz, tomando o castigo que merecíamos. Morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou e está vivo, no Céu. Por isso, Ele agora pode nos oferecer de graça esta água preciosa. – Rosinha pensou: “É justamente isso que eu preciso!” Com um coração sincero e humilde voltou-se para Cristo, o Salvador (vá despejando água na garrafinha), e sua vida foi transformada... em um instantinho! De vazia, sem vida, Rosa Garrafinha sentiu a Graça de Deus enchendo a sua alma em toda a sua plenitude. A costura, seu egoísmo de fazer somente o que lhe agradava – tudo isso desapareceu; e o Mestre, amigo das crianças, encheu a sua vida.

Rosa Garrafinha voltou correndo para casa.

- Mamãe – disse com o rosto todo iluminado – adivinha só o que aconteceu comigo!

- Mamãe Garrafa preparava apressadamente o jantar e nem quis prestar atenção para o que sua filha lhe dizia. Rosa, porém, continuou a seu lado, contando-lhe com alegria transbordante o que lhe acontecera.

Mamãe sentou-se. Impressionada com o testemunho de Rosinha, ouviu atentamente todas as experiências que havia tido naquela tarde e, meditando sobre a sua própria vida, sentiu-se também só, sem alegrias e necessitada de Alguém que a amparasse e tomasse conta de todo o seu ser. Lembrou-se do tempo de criança e de como havia aprendido a louva-LO; agora ali estava, arrependida de ter vivido longe dos caminhos de Deus, sem vida e sem a Água essencial à alma. Mamãe Garrafa então orou com a filha, ali mesmo na cozinha (coloque água na mamãe enquanto apresenta). Dali a instantes, era outra a atmosfera daquele lar. Até as panelas pareciam cantar junto com Mamãe e Rosa Garrafinha.

Esta auxiliou a mãe no preparo do jantar e logo tudo estava pronto.



Sete horas da noite. Chega Papai Garrafa, cansado e nervoso, pronto a responder de mau humor a quem lhe dirigir a palavra. Mas... que diferença! A mesa posta, a cozinha arrumada, Rosa em um vestido limpo e bem penteada. Mamãe com um rosto alegre e bem arrumada:

- Pronto, papai, aqui estão os seus chinelos e o jornal da tarde – disse-lhe a menina com um sorriso que o desarmou completamente.

Logo depois chega Florinda Garrafa, no momento em que a família se dirigia para a sala de jantar. Estranhou o ambiente – a calma, o sorriso nos lábios de todos – porém nada disse. “Que teria acontecido?” Pensavam papai e Florinda, muito desconfiados. Já na hora da sobremesa, aparece o Zezé Garrafa Bolão fazendo barulho, falando alto, mas... ao avistar na sala os pais e irmãs tão diferentes, ficou desarmado para continuar com sua atitude costumeira. Foi bem depressa para o quarto, aprontou-se o mais rápido possível e desceu para jantar.


Acabada a refeição, Papai não agüentou mais de curiosidade e, juntamente com Florinda e Zezé, procurou saber o que havia sucedido.


Mamãe contou então sua experiência daquela tarde. Rosa narrou também tudo quanto havia se passado com ela. Papai, Florinda e Zezé prestavam tanta atenção que pareciam querer engolir as palavras que escutavam. Depois papai (vá despejando água no Papai) com toda seriedade expôs o desejo que surgira em seu coração de se voltar para Deus, deixa tudo quanto até aquele momento havia sido a coisa essencial de sua vida.
orinda, também, com lágrimas nos olhos reconheceu ter sido superficial, egoísta, orgulhosa (Despeje água na Florinda). Agora queria ser diferente pela graça divina.


é Garrafa Bolão ouviu tudo atentamente. Uma tremenda luta se travava no seu íntimo. Queria deixar Aquele Amigo e Salvador entrar em seu coração ( derramar devagar um pouco de água em cima da bola), e por outro lado, outra força procurava persuadi-lo a conservar tudo quanto mais estimava – os jogos, o futebol, a BOLA.




Papai se rendeu; Cristo saciou sua sede espiritual com Água da Vida. Florinda, resolvida a abandonar todas as coisas passadas Abreu seu coração para que o Salvador lhe desse também daquela Água. Por fim, Zezé Garrafa Bolão, com fé tão simples de uma criança, confessou sua firme decisão (retire a bola e despeje água em Zezé Bolão) de receber de igual modo a Água da Vida Eterna.




Cristo entrou naquele lar, e a noite foi memorável para toda a família Garrafa. Todos juntos se ajoelharam e oraram, e pela graça divina aquelas vidas foram plenamente cheias da Água cuja “Fonte salta para a Vida Eterna”.






















Esta é apenas uma estória extraída da imaginação de um ser humano, mas a verdade nela revelada é a de que pelo poder de Cristo Jesus podemos saciar nossas almas sedentas, porque Ele afirma: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7.37b).






















Professor:










Aqui faça o apelo, de acordo com a orientação que lhe der o Espírito Santo, através da Palavra de Deus.

TEM LADRAO NO FORMIGUEIRO

Era muito tarde, a noite estava muito fria, as formigas dormiam tranqüilas, elas tinham trabalhado o dia todo carregando suas folhinhas, pequenos grãos que encontravam pelo caminho, e isso era todos os dias, nem sábado, nem domingo, e nem feriado, para elas era dia de ficar sem trabalhar. Mas quando começava a chover então elas vestiam seus agasalhos acendiam uma fogueira bem no meio do formigueiro, então os tocadores de viola começavam a tocar, e ali entravam o dia começava a noite e as formigas, só comendo, cantando e dançando. As vezes uma tiravam um tempinho para namorar, outras iam conversar com a vizinha, outras aproveitavam para dar uma geral na casa, e assim a vida no formigueiro era uma maravilha. Ninguém tinha preguiça, todas faziam um bom trabalho sem reclamar...



1- Miquinha era a formiga rainha mas ela era uma governadora muito bondosa. Cumprimentava todo povoado com muita simpatia todos falavam muito bem dela, pois ela trabalhava de modos que todos gostavam e se a vissem triste era porque estava doente ai todos ficavam preocupados e cada um queria fazer alguma coisa que pudesse alegrá-la. E os dias se passavam fazendo muito frio, um dia todo o formigueiro notou que Miquinha estava muito sumida...


2- Algumas outras formigas foram fazê-la uma visita e viram que ela estava com muita gripe, uma tosse que não parava, então depressa pegaram folhinhas de limão, de laranja de cidreira e fizeram um chá bem forte e gostoso e cuidaram tão bem de Miquinha que logo ela sarou e voltou para o seu trono novamente.


3- Que bom! O Sol voltou a esquentar de novo, então todos saíram para tomar um pouco de Sol, e aproveitaram para reabastecer a casa, afinal tinham de aproveitar todas oportunidades. Descobriram que em uma casa alguém haviam feito um bolo de chocolate todo coberto com chocolate granulado, e deixado em cima da mesa onde elas podiam atacar, há mais não deu outra coisa, rapidamente a fileira estava toda trabalhando, enquanto uns levavam, os pedacinhos do bolo outras já voltavam para buscar mais, hum! A que festa pra hoje a noite alguém disse. Afinal poderemos até fazer o aniversário da rainha com tanto bolo pois ela é tão bondosa para nós!


4- A noite depois de colocarem tudo em ordem arranjaram a mesa para a festa do aniversário, ai foram dormir....Hum! a que noite boa para dormir, quando estamos cansados a melhor coisa é a cama, mas de repente......alguém ouve um ruído muito estranho, era de um personagem que fazia muito medo só em ouvir.

Então a formiga rainha se levantou pé por pé e de repente deu um grito bem alto:

TEM LADRÃO NO FORMIGUEIROOOO!


5- Todos se levantaram menos as formiguinhas pequenas porque elas eram tão pequeninas que na correria poderia alguém ficar atropelada até mesmo pelo intruso que havia entrado no formigueiro.



6- Acenderam-se as luzes e começaram a procurar, de onde vinha o barulho... era um RATO daqueles bem pequeno que nós o chamamos de CAMUNDONGO, mas onde ele chega faz um estrago muito grande. Então a rainha deu ordens para os guardas de plantão atacarem o pequeno ratinho e o colocarem para fora pois ele não fazia parte daquela família tão unida. Crianças nunca devemos permitir que os vícios, mentiras as coisas que vem só para atrapalhar a nossa família, entre em nosso meio. A família é o nosso berço, é o nosso abrigo, é onde nós recebemos carinho é o meio que o Senhor Deus nos deu para viver. Ele não nos fez para vivermos isolados, mas ter como amigos nossos pais, irmãos, avós e todos da nossa família.


7- Mas e as formigas? O que será que aconteceu depois? Há! aí foram comemorar, já que as luzes foram acesas, todos estavam acordados, o bolo já estava na mesa, a formiga rainha estava de pé depois de um susto danado todos riram muito então cantaram: PARABÉNS PRA MIQUINHA ELA É NOSSA RAINHA A FORMIGA BONDOSA QUE NOS TRAZ ALEGRIA

E assim o dia amanheceu, todos no formigueiro mas uma vez acreditaram em MIQUINHA pois através da coragem dela todos foram salvos do perigoso ladrão. Com isso nós aprendemos que alguém tão corajoso que se chama JESUS veio a esta terra nasceu, cresceu e quando Ele era homem Ele deu a sua vida por todos nós, a Bíblia diz que o inimigo da nossas vidas veio para roubar, matar destruir, tudo que DEUS nos dá. Mas JESUS veio para tirar esse ladrão que se chama inimigo, perdoando nossos pecados e nos ajudando a ter coragem para fazer as coisas certas como nos diz a Bíblia: ( O senhor agrada-se dos que o temem...... Salmos 147. 11).



Autora – Neuza Luciano Vieira









CANTE COM AS CRIANÇAS:

Se com a família esta Jesus, é feliz o lar, é feliz o lar, é feliz o lar- 2x

É feliz o lar.

Se com o papai esta Jesus, é feliz o lar...

Se com a mamãe esta Jesus é feliz o lar...

Se com o irmãozinho esta Jesus é feliz o lar...

Se com a irmãzinha esta Jesus é feliz o lar...

Se com o neném esta Jesus é feliz o lar...

O SORVETE MISSIONARIO

Tudo aconteceu de um momento para outro. Áurea, uma menina de cabelos ruivos e nariz cheios de sardas, assistia em companhia de seus coleguinhas,a projeção de slides coloridas na casa de Dona.Helena.




A Sala estava meio escura,e os slides eram projetados numa tela grande, enquanto a missionaria ia explicando o que significa cada um deles. As crianças viram os africanos,bem como,os macacos,elefantes.Viram uma aldeia de casas feitas de palha. Um dos slides mostravam cena onde podia-se ver os africanos cultuando demônios. Viram tambem crianças correndo com medo dos estrangeiros, escondendo-se dos missionarios que queriam falar-lhes do senhor jesus.



Á medida que os slides iam passando, Aurinha ia se sentindo que algo nela tambem ia se transformando. Não era a sua aparência, disso ela tinha certeza;a

transformação era bem dentro, no seu coração.



Áurea inquietou-se. Alguém teria chamado o seu nome? Olhou em volta,mas todos continuavam com os rostos voltados para a tela. A voz vinha de dentro do seu coração! Mas mesmo assim ,era real.



"Áurea , você Me pertence. Eu escolhi para ser minha mensageira, para contar aos outros como poderão ir para o Céu". Áurea sentiu seu coração batendo apressado. Daí em diante ,ela quase não ouviu mais a mensagem missionaria. Após ter cantado o corinho de despedida ,saiu correndo em companhia das outras crianças.



(Cartaz 2)



De volta para a casa, Áurea percebeu que alguém caminhava a sua frente. Podia notar muito bem as sandalias arrebentadas que faziam "pift,poft.pift,poft" na calçada.Via tambem grandes buracos nas meias.



A saia era roxa e estava suja a blusa, vermelha desboatada. Áurea sabia que a menina que seguia á sua frente era Lídia ; mas nem ligou para o fato. Ela se sentia emocionada, feliz demais.



-[i]Alô Aurinha![/i]- O coração de Áurea pulou de alegria .Conhceu a voz de Jaime.

-Sabe, Jaime! -exclamou Aurea -Vou ser missionaria.

[i]-É?[/i] -Jaime continuouandando,com as mãos no bolso

-Você não acha isso uma coisa marvilhosa? - perguntou Aurea, desapontada.

[i]- È ...esta bom[/i]

Aurea parou,olhando o amiguinho...

-Você não parece muito entusiasmado.

[i]- Bem - ele resmungou - Quando você vai começar?[/i]

Por acaso, ou não , Jaime falou na direção á Avenida Boa Vista, onde Lídia caminhava agora, sozinha, como sempre.



Aurea ergueu a cabeça de maneira altiva. Ela não gostava de Lídia, que geralmente trajava-se de roupas velhas e quase sempre estava com o pescoço sujo. Seu cabelo era mal cortado e parecia pegajoso, melado. Niguem em toda a escola queria fazer amizade com ela.



[i]- Jesus deve amar Lídia tambem,você não acha?[/i]- observou Jaime.



Depois do jantar, naquela mesma noite, Aurinha não conseguia fazer seus deveres escolares . Ficou pensando nos ultimos acontecimentos. Era verdade que Deus a havia chamado para ser Sua mensageira, e esta lhe fora bem clara.



SERA QUE DEUS ESTA QUERENDO QUE EU COMECE COM LÍDIA? Áurea jogou seus livros para o lado.



(Cartaz 3)



Puxou da gaveta um cofre onde guardava o seu dinheirinho e começou a tirar alguns cruzados.

[i]- Para doces?[/i] -mamae perguntou .

-Sorvete Missionario!

Levando o dinheirinho, Aurea se dirigiu á casa de Lídia, que ficava, em uma rua pobre;a casa estava quase desmontando. Foi Lídia mesma quem atendeu a porta.

[i]- Que quer?[/i]

Aurea ficou meio sem jeito.

- Vim....isto é....você quer passear comigo? - guarguejou ela.- Querendo ser sua amiga.Tenho dinheiro para ..para sorvete.



As palavras saiam com dificuldades. Estendeu a mão, úmida pelo nervosismo, mostrando dinheiro. Lídia fez um ar de indiferença, mas acompanhou Aurea ate o bar. O vendedor era um Italiano sorridente que, ao servi-las, enfiou a concha no fundo da lata de sorvete de morango. Lidia ,ao receber seu sorvete agarrou com força ..





(Cartaz 4)



Vamos sentar Lidia sugeriu, e ambas sentaram á beira da calçada de Lidia. Havia crianças brincando e gritando no meio da rua:Lidia não lhes prestava a mínina atençao. Chupou o sorvete, mastigou a casquinha também e lambeu os dedos, sem perder de vista o sorvete de Aurea. Esta, adivinhando o seu desejo, estendeu a mão oferecendo -o.



- Aceita? Estou satisfeita.

Lidia o aceitou e acabou com ele num instante. Este deve ser o momento para eu começar a falar de Jesus. Aurea pensou.E foi com o coração aos pulos que ela comçou a contar que Deus ama a todos.



[i]- Mentira![/i]- Lidia gritou..

Aurea a olhou de boca aberta.

[i]- Pode ser que Deus ame os outros - disse Lidia,aborrecida - mas não a mim. Ja sei que ninguem me ama. Voce esta querendo me salvar,como se fosse um pagão da africa. Foi por isso que pagou um sorvete pra mim. Mas fique sabendo que eu não sou pagã. - Ainda mais furiosa,acrescentou: - É voce não prescisa mais enfiar a sua cara saradenta nesta vizinhança.[/i]



Cara Sardenta! - Aurea ficou furiosa ao ouvir isso. Olhou, desdenhosa, para o rosto sujo de Lidia. Sacudiu as tranças para tras. Levantou -se e foi embora.

Talvez houvesse lagrimas em seus olhos, pois não podia enxergar bem o caminho e, por isso mesmo, acabou chocando-se com alguem na esquina. Era dona Helena, a missionaria.



(Cartaz 5)



Aurea prescisava contar a alguem. Seus labios tremiam, sua voz estava meio roca. Mesmo assim, contou a dona Helena como Deus falara ao seu coração. Disse-lhe ainda sobre o sorvete missionario e sobre Lidia. Dona Helana apertou a mão de Aurea enquanto caminhavam juntas pela rua.



Certa vez, na África, disse Dona Helena alguem pôs uma pedra suja em minha mão. Eu nunca poderia imaginar que aquilo fosse um diamante, valendo milhoes de cruzados. So prescisava ser limpo e polido. Voce ja imaginou que Lidia poderia ser um diamante a Deus?



- Lidia um diamante?? - Aurea riu um pouco,mas se sentiu consolada. Ela realmente ama a Jesus e imaginou como serise pudesse ganhar um "diamente" para Ele!



No dia seguinte, Aurea encontrou Lidia na escola, tão mal vestida como sempre sozinha. Aurea sorriu ao cumprimenta-la, mas Lidia nem sequer olhou para ela

Foi nesse dia que as crianças da escola começaram a ensaiar o desfile. Quando o sino tocou, todos sairam das salas de aula. Enquanto a banda se preparava, as crianças começaram a formar fila para marchar, de duas em duas.



[i]- O dia esta otimo para marchar! [/i]- cochichou Sarinha,que fazia par com Aurea.

Inspeionando a fila, o diretor parou de repente, em frente a alguem perguntando:

Quem vai marchar com você?

Era Lidia, que estava sozinha, fitava o chão. Suas mãos estavam tremulas. Em rapida olhadeira, Aurea notou que Aninha ainda estava sem par. Era a unica, alem de Lidia, que ainda estava sem companhia, mas estava ali de cabeça erguida e dirigiu a Lidia olhores de pouco caso.



- Aninha - Aurea sussurou, fazendo tambem um sinal para que ela tomasse seu lugar. Entao Aurea passou adiante e pos ao lado de Lidia.





(Cartaz 6)



O sangue subiu ao rosto sujo de Lidia. Aurea sorriu para ela, pegando-lhe a mão e apertando-a bem.

- Ei Aurinha - chamou o tio Eduardo á noitinha - Alguem esta ai fora querendo falar com voce.

Aurea desceu correndo a escada aos pulos, correu pela sala e olhou pelo vidro da janela. Não conseguia ver ninguem. Entao, uma cabecinha apontou por cima do outro portão, mas logo sumiu. Aurea saiu correndo, mas quando chegou ao portão, Lidia tambem ja ia correndo rua acima.



- Lidia espere! - gritou Aurinha.

Lidia parou. Voltou devagarinho. Grossas lagrimas caiam-lhes pelas faces.

- O que ha? - perguntou Aurea - Não va embora.

Lidia agitava seus pes indecisa. Seus dedos retorciam -se na saia roxa

[i]- Por que vc fez aquilo?[/i]- guraguejou ela

Aurea não perguntou o que a menina queria dizer; tinha entendido.

- Por que gosto de você.

Lidia chutou uma pedrinha.

[i]- Você acha..acha..acha..que Deus me ama de verdade?[/i]

Ali mesmo, Aurea contou o quanto DEUS a amava, como Ele deu seu filho Jesus, para salva-la.

Explicou como Jesus morreu na cruz do calvario em seu lugar, para tomar castigo que ela merecia, como pecadora. Depois de explicar tudo isso, Aurea perguntou:

- Você quer abrir seu coração e convidar Jesus entrar para ser seu Salvador?

[i]- Sim ..[/i]- foi a resposta de Lidia.

E, foi desta maneira que Aurea, com um sorvete missionario, ganhou um "diamante" para Jesus e tornou-se verdadeira missionaria.



O que é que Deus esta desejando de voce hje? Deus quer que você ame aos outras crianças, ricas e pobres, limpas e sujinhas. Talvez voce possa oferecer uma doce, um sorvete, ou mesmo aqueles sapatinhos que não lhe cabem mais. Porém, se não puder dar alguma coisa que custe dinheiro, mesmo bem pouquinho, ofereça um sorriso, dê a sua amizade.



Há muitas crianças tristes, sozinhas e necessitadas. Tente ainda falar de Cristo para elas, pois elas também são "diamantes", joias preciosas, por quem o Senhor Jesus morreu. E você será, como Aurinha, um missionario de verdade.!





(Fonte: criancaevang.blogspot.com)